De modo Chet Baker (2009)

No escuro do quarto, a vida parece um tédio. Entre as faixas de luz que conseguem ultrapassar as persianas, todas as emoções se perdem, as histórias são esquecidas. Só existem o rádio, a bebida e os cigarros.

Que horas são? Meio dia? Meia noite? Não tenho idéia. Meu relógio está parado há dias, mas nunca me lembro de dar um jeito.

O trompete está jogado no canto, já não o toco há um tempo. Na verdade não faço nada há um bom tempo. Mas não me importo. O tempo perdido pode ser tempo ganho, depende apenas do ponto de vista. Ponto de vista que deixei de ter desde não sei quando.

Não tenho opinião.
Não tenho dinheiro.
Não tenho amor.
Não tenho nada.

Talvez tenha apenas uma coisa: uma vontade. Vontade de viver. Ou falta de vontade de morrer, não sei.

Pego o trompete. Goodbye começa a soar. Na melodia chorosa, transmito um pouco de mim. E continuo através das horas.

Vivendo a vida, uma nota de cada vez. Assim eu vou.

Anúncios
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: